O Caso Karran

20c5a482f1a6e469340ff9dcef9ff220

Um controvertido contato de 3º grau com a equipe do extraterreno Karran modificou completamente a vida do casal Hermínio e Bianca Reis, um ex-pastor das Testemunhas de Jeová e uma dona de casa.

A aventura de Hermínio e Bianca começou em 1976, numa noite de janeiro, quando viajavam em seu carro do Rio de Janeiro para Belo Horizonte. Era muito tarde e a visão de um “balão” luminoso no céu os fez parar. Nesse momento, o veículo do casal é suspenso e levado para dentro de uma pequena espaçonave. Em seguida, a nave alçou voo e adentrou numa outra ainda maior, quando o casal foi finalmente retirado do automóvel e conduzido por dois seres até um compartimento muito amplo, onde se podia ver várias outras naves estacionadas. Logo após, foram direcionados até um ambiente onde havia algumas poltronas, nas quais sentaram. Os tais seres colocaram capacetes em suas cabeças, dos quais saiam fios que se conectavam a um aparelho que lembrava um computador de grande porte da década de 70. Era um aparelho aparentemente destinado à tradução simultânea.

hb-image002

Usando o mesmo tipo de capacete e ligados a mesma máquina, os tripulantes da nave tiveram uma longa conversa com Hermínio e Bianca, com a transmissão de muitas informações tanto de um lado como de outro. Um dos seres se identificou como Karran e o outro como Zir. Karran foi descrito pelas testemunhas como tendo aproximadamente 2 metros de altura, pele morena na cor de jambo, cabelos lisos e escuros. Seus olhos eram grandes, redondos e verdes e tinha a boca e o nariz proporcionais ao corpo, como os seres humanos terráqueos. Apesar de ser muito alto, o corpo de Karran era muito semelhante ao de um homem comum, embora de aparência bastante forte. O ser estava vestido com um macacão de cor branca, no qual não era percebido qualquer costura ou emenda e usava sapatos da mesma cor. A conversa seria apenas o início de uma fascinante experiência que viveriam Hermínio e Bianca, ele pastor evangélico ela dona de casa.

Karran
Retrato falado de Karran

Dois dias depois de sequestrados, o casal foi deixado dentro do próprio veículo em uma estrada de terra, não muito longe onde tudo começou. Aquele foi o primeiro de uma série de quatro contatos ou encontros com Karran. O caso Hermínio e Bianca foi um dos poucos  em que os abduzidos não perderam a lembrança do acontecido e ainda se envolveram tanto com os extraterrestres que outros contatos foram estabelecidos.

Digno de nota foi o terceiro deles, em que Hermínio tirou fotos da nave deixando o solo. Estas fotos que mais mostram “jogos de formas de luz” do que propriamente a silhueta de um disco voador, foram exaustivamente estudadas em laboratórios pelo pesquisador de UFOs Alberto Francisco Carmo. O resultado das revelações foi apresentado em março de 1979, no primeiro congresso Brasileiro de Ufologia, em São Paulo, que contou com a presença do grande ufólogo, o astrofísico americano Allen Hynek. Aberto Francisco concluiu: “(…) ou essas fotos são autênticas revelando parte de uma supra-realidade que não conhecemos, ou então o Sr. Hermínio Da Silva Reis é um armador genial(…)”

Seguem abaixo trechos da conversa de Karran com a Bianca sobre a origem do homem na Terra:

A) Karran como foi sua origem?

K- Nossa origem vem diretamente do Criador, não só a minha origem, como também todas as raças que deram origem ao seu mundo. Antes do seu mundo ser habitado, íamos muito a sua terra e nela encontramos vida animal e vegetal, mas não havia ainda vida humana. Estudamos os climas, as condições ambientais e o próprio planeta em si. Com o resultado desse trabalho, chegamos à conclusão de que na sua terra havia condições de vida para pessoas, de planetas cuja natureza e condições ambientais fossem idênticas às do seu planeta. Então nós resolvemos semear o seu planeta, isto quer dizer: cada planeta trouxe para sua terra não somente pessoas, mas também plantas, animais e tudo relativo às suas vidas e sobrevivência, povoando a sua terra, no lugar onde o clima oferecesse as condições ambientais idênticas ao seu mundo de origem. Foi assim que se deu origem a vida humana na sua terra.

B) As muitas raças, existentes na minha terra, são de diferentes mundos. Como você me disse, nossa origem vem de diferentes mundos, inclusive do seu, então por que nos abandonaram?

K- Vocês nunca foram abandonados. Eis uma prova de nossa presença: Não estamos aqui? Nossa presença foi sempre sentida em seu mundo. Em todas as épocas sempre estivemos aqui. E seus registros mostram isto. Num tempo ainda desconhecido do homem da sua terra, por uma razão que não pudemos evitar,  o planeta luz (Nosso Sol) emitiu forte carga de energia que atingiu seriamente o seu planeta e todo o seu sistema solar. Isto impediu qualquer viagem de socorro à sua terra, devido as barreiras magnéticas que se formaram em torno do seu planeta como também, em torno de todos os corpos celestes existentes dentro do seu sistema, bloqueando os canais de comunicações. A sua terra ficou assim desligada e sem nenhuma ajuda por aproximadamente três mil anos do seu tempo. Nossas naves não tiveram condições de romper esta grande intensidade de energia, desprendida pelo planeta luz, que atingiu a sua atmosfera e danificou bastante o sistema de proteção à vida no seu planeta. Isto resultou em grandes prejuízos para humanidade. O seu planeta foi deslocado de sua posição original, o mar trocou de lugar com a terra, invadindo e destruindo nossas cidades, como também quase toda espécie de vida, os dias ficaram mais curtos, por que a rotação do planeta ficou mais acelerada. O desastre maior, o que causou seu desligamento com os habitantes de outros planetas, foi a penetração em sua atmosfera de excesso de radiações  solares que afetaram enormemente seus cérebros. A penetração de desta radiação em seu planeta se deu devido a uma ruptura em uma das camadas de proteção. Ruptura esta causada por fortes ondas magnéticas provocadas pelo excesso de explosões solares. Quando, finalmente, tudo se acalmou e as condições de turbulência passaram, retornamos à sua terra. As primeiras imagens que tivemos não foram boas. Tudo o que era nosso havia se acabado, os lugares antes habitados tinham desaparecido. O homem tinha perdido todo o seu conhecimento. As pessoas, que aqui havíamos deixado não mais existiam nesse planeta e as gerações que restaram não mais nos reconheciam, chegando mesmo a nos confundir com Deuses. Pois o homem consciente ou inconsciente traz dentro de si o conhecimento de algo superior. E, que sempre nós esperamos que essa força superior venha do céu. Isto porque quase todos os seus neurônios haviam sido danificados pela radiação. E, com eles, todo conhecimento que tinham foi esquecido, todos estavam embrutecidos e inconscientes, mas a vontade que tinham de sair daquela situação era tão grande, que um dos registros do homem não foi destruído; o que mostrava que a única maneira de sair seria se a ajuda viesse de cima (do céu). Tentamos ajudá-los, cedendo novamente muitos dos nossos recursos e informações, mas quando recusávamos qualquer gesto de adoração, ficavam furiosos e se negavam a aceitar que éramos criadores ou deuses e, sim pessoas iguais a todos. Por isso, não havendo condições para que pudéssemos corrigir esse defeito, nós recebemos instruções para nos afastarmos do homem da sua terra.


Assista abaixo trechos da entrevista com o casal Hermínio e Bianca:


       “Apresentando o meu pensamento humilde, procurei demonstrar as largas experiências que os operários do Invisível levaram a efeito, sobre os complexos celulares, chegando a dizer da impossibilidade de qualquer cogitação mendelista nessa época da evolução planetária.

Aos prepostos de Jesus foi necessária grande soma de tempo, no sentido de fixar o tipo humano. Assim, pois, referindo-nos ao degredo dos emigrantes de Capella, devemos esclarecer que, nessa ocasião, já o Primata Hominis se encontrava arregimentado em tribos numerosas. Depois de grandes experiências, foi que as migrações do Pamir se espalharam pelo orbe, obedecendo a sagrados roteiros, delineados nas Alturas. Quanto ao fato de se verificar a reencarnação de espíritos tão avançados em conhecimentos, em corpos de raças primogênitas, não deve causar repugnância ao entendimento. Lembremo-nos de que um metal puro, como o ouro, por exemplo, não se modifica pela circunstância de se apresentar em vaso imundo ou disforme.

  Toda oportunidade de realização do bem é sagrada. Quanto ao mais, que fazer com o trabalhador desatento que estraçalha  no mal todos os instrumentos perfeitos que lhe são confiados? Seu direito, aos aparelhos mais preciosos, sofrerá solução de continuidade. A educação generosa e justa ordenará a localização de seus esforços em maquinaria imperfeita, até que saiba valorizar as preciosidades em mão. A todo tempo, a máquina deve estar de acordo com as disposições do operário, para que o dever cumprido seja caminho aberto a direitos novos.

Entre as raças negra e amarela, bem como entre os grandes agrupamentos primitivos da Lemúria, da Atlântida e de outras regiões que ficaram no acervo de conhecimentos dos povos, os exilados de Capela trabalharam proficuamente, adquirindo a provisão de amor para suas consciências ressequidas. Como vemos, não houve retrocesso, mas providência justa de administração, segundo os méritos de cada qual, no terreno do trabalho e do sofrimento para a redenção.” (Nota de Emmanuel no livro A Caminho da Luz- Psicografado por Francisco Cândido Xavier)


Allan Kardec sempre assessorado por espíritos de escol, já algumas décadas antes das informações psicografadas por Chico Xavier, formuladas pelo Espírito Emmanuel, intui o que aconteceu nos primórdios da humanidade.

” Da semelhança, que há, de forças exteriores entre o corpo do homem e o do macaco, concluíram alguns fisiologistas que o primeiro é apenas uma transformação do segundo. Nada aí há de impossível, nem o que, se assim for, afete a dignidade do homem. Bem pode dar-se que os corpos de macaco tenha servido de vestidura aos primeiros espíritos humanos, forçosamente pouco adiantados, que viessem encarnar na Terra, sendo essa vestidura mais apropriada às suas faculdades, do que o corpo de qualquer outro animal. Em vez de se fazer para o espírito um invólucro especial, ele teria achado um pronto. Vestiu-se então da pele do macaco, sem deixar de ser espírito humano, como o homem não raro se veste da pele de certos animais, sem deixar de ser homem.

                                                                                            Allan Kardec, A Gênese, cap XI.


Esta sensacional explicação de Espírito Emmanuel e a hipótese de Kardec, encerram quaisquer dúvidas com relação à intervenção de seres extraterrestres propriamente ditos na construção do nosso corpo material, ao tempo que esclarecem a origem da inteligência proeminente de parte dos hibitantes da Terra na antiguidade. Percebe-se claramente que seres extraterrestres que aqui encarnaram, em épocas distantes, tiveram como finalidade o seu próprio burilamento e por consequência a promulgação do progresso em diversos campos do conhecimento no orbe terráqueo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s